sábado, 17 de dezembro de 2016

ebook home ebook library

ebook home ebook library


Books Direct Blog

Posted: 17 Dec 2016 04:21 AM PST

Books Direct Blog


"The Elf" by Max Dune

Posted: 17 Dec 2016 12:00 AM PST

INTERVIEW and GIVEAWAY
The Elf
by Max Dune


This book blitz and giveaway for The Elf by Max Dune is brought to you by Xpresso Book Tours.


Description
This Christmas ... it's war. Grab your weapon and join the fight in this modern Santa Claus retelling with a dark twist. Fans of Guardians of the Galaxy and Avatar will be riveted by The Elf's action, humor and romance!
Elves are dying in the North Pole, and none of their scientists can find a cure. They believe it's a virus, unleashed by a powerful enemy. All signs point to Jack Frost, who's been biding his time from afar. Watching. Waiting. Plotting. One brave elf, to save his kind, will venture out to meet evil in the eye. But he uncovers a mystery more dangerous than he could have ever imagined. Now Lucian must join a group of warriors and fight. Fuego; a flame-wielding pyro. Tiktok; a brilliant bomb expert, Yuriko; a deadly ninja assassin. And Bullets; a hot-headed gun aficionado. These unlikely heroes must learn to work together and defeat the rising evil. Or Christmas will soon be lost ... forever.


Book Video


Excerpt
My mouth waters the moment I enter the cafeteria. Rich aromas of fried meats and freshly baked pastries waft in the air, beckoning my empty belly. Zeb and I rush to the buffet-style line and wait for our turn. We arrived early today so it doesn't take long. I serve myself the usual breakfast. Golden waffles topped with lots of strawberry jam and butter. And coffee. I can't start my day without that sweet caffeinated elixir. I pour myself a jumbo-sized cup from the silver coffee dispensers, then take a quick gulp right there. I shudder in delight. "Man, that's good."
Zeb nods, sipping his coffee too. "Preach! It tastes better every day. I wonder what the secret ingredient is. Love? Sunshine? Unicorn blood?"
"Or just freshly ground Columbian beans?" I suggest.
"Or that."
Leaving the line, we scan the cafeteria for an empty table. In the distance, I spot her waving at us. Lily. The most beautiful girl in the world. Just the sight of her lifts my mood and makes my heart flutter. I wonder what it is about her that has such an effect on me. Her slender, willowy frame? The way her black hair cascades down over her shoulders? Or those dazzling emerald eyes? Yeah, it's definitely that last one. It was those eyes of hers that first drew me to her, like deep lakes of jade. But it was her kind heart that really sealed the deal.
Sitting next to her is Chance. He's another good friend of mine. He, along with Zeb and Lily, have worked hard to keep me from sinking further down into my depression. "Hey" we all chorus when we arrive at the table. I sit next to Lily and Zeb takes the seat next to Chance.
Lily gives me quick kiss on the cheek. "Good morning, handsome," she says, prompting me to smile like an idiot in love.
"Morning," I respond shyly.
Zeb makes a gagging noise while Chance chuckles.
"Ah, love is in the air," Chance says.
Zeb frowns. "Chance, don't encourage this. It's nauseating."
"Hey," I warn. "Watch it or Lily might not help you with Pepper."
Lily nods in amusement. "Mm-hmm."
Panic spreads across Zeb's face, then he smiles widely and lets his usual theatrics fly. "Wait, did I say nauseating? I meant to say precious. Look at you two! Here." He whips out his cell phone and snaps our picture. Then he admires it lovingly, placing a hand over his chest. "Aww. #truelove #beautiful #nofilter."
Everyone laughs.
Zeb keeps lathering it on. "See, Lily, this…this could be my future with Pepper. Provided we stick to the plan. Which reminds me, have you talked to her yet?"
Lily offers an apologetic smile. "Not yet, sweetie. I haven't seen her. She's been working overtime."
"Join the club," Chance says. "By the way, Zeb, our department has to work an extra six hours Saturday. Mini-helicopters are in high demand this Christmas, I guess." Chance doesn't appear to be bothered by the news, though. Remember the optimistic gene I mentioned? Well, Chance has it in spades. Along with some of the best work ethics I've seen here.
"Oh my llama," Zeb groans. "Sixteen hours?!"
I lift my Styrofoam cup. "Just drink more coffee. This will give you all the energy you need to get through your shift. Without it, I'd drop dead after an hour of chopping."
Lily takes a more sensitive approach. "And think of the joy those kids will receive when they fly those helicopters you built. How their faces are going to absolutely light up! It'll be worth it, Zeb." I place my hand over hers, touched by her encouraging words, her selflessness. It just makes me love her even more.
Zeb, however, keeps a sourpuss face. It's only when Gordy, our choir director, walks by that he switches into happy-mode and jumps up. "Greetings, Gordy! I was wondering if you'd received my volunteer application for the choir team. As well as the Christmas carols I submitted for your consideration. All songs are 100 percent original, written by yours truly, of course."
Disdain registers across Gordy's features—just for a split second—before being able to collect himself and plastering a smile. "Ah, yes, yes, I did! Unfortunately, we have enough singers at the moment." He pats Zeb's shoulders. "But your generous offer is greatly appreciated all the same. Truly!"
"Oh, okay," Zeb says, sounding like a sad puppy. "Well, what about the songs I wrote? Would you consider using them for the annual Christmas concert?"
Gordy claps his hands excitedly. "Your songs, oh, they were splendid. It's just that…" He pauses, looking for the best words to let Zeb down gently. "Everyone is expecting a certain amount of Christmas cheer from our musical selection. Now more than ever, given the recent tragedies, and I feel our classic carols will provide that."
Zeb's face falls. "I understand. Thank you for your consideration, Gordy. Perhaps next year."
"Perhaps, yes!" Gordy cries. "Stay cheerful, Zeb!"
"Stay cheerful, Gordy…" Zeb says quietly. Once the older elf scampers away, my friend slumps down to his chair, a mixture of anger and frustration. We all exchange a worried look; this probably won't end well. Oh what the heck? Might as well make the first move.
I reach over and pat Zeb's arm. "You is kind. You is smart. You is important."
He swiftly shakes me off. "Don't you dare quote The Help to me right now. Don't you dare."
"What? I thought you loved that movie."
He scowls. "Well, of course I do! It's a masterpiece. It should have won every Oscar that year—but that's not the point right now, Lucian." He massages his temples. "The point is my soul hurts. And nobody will ever know how much it hurts."
I hide a smirk.
Lily slaps my side before comforting Zeb. "Sweetie, don't let that dampen your spirits. Everything happens for a reason. There's always next year. I bet you'll be in the front row of that choir then. Keep the faith, Zeb."
Chance gives an agreeing nod. "Yeah, man. Chin up."
But Zeb appears unwilling to let it go. He raises both hands in his dramatic fashion and closes his eyes. "I'm taking a vow of silence for the rest of the day. Does everyone hear me? Not…another…word." He gestures like a zipper across his lips and pretends to throw away an invisible key over his shoulder.
Boom!
A deafening explosion outside suddenly shakes our building and shatters a nearby window. The mighty blast knocks us to the ground and showers us with glittering pieces of glass. We lie for several moments in shock, out of breath, trembling, ears ringing, trying to process what just happened. I manage to gather myself and quickly reach for Lily, who's on the floor beside me. "Are you okay?" I ask, frantic.
"Y-Yes," she says, eyelids fluttering. "Just… dazed."
Our group slowly sits up. There's all sorts of anxious murmuring around us.
"Zeb? Chance? You good?" I ask.
Both nod in affirmation, much to relief.
Just then, the intercom buzzes and a robotic voice speaks. "Code Ice. Code Ice. All elves, please remain inside." And with those simple words I understand exactly what's going on—Jack Frost is in the village.
He's come to destroy us.
Once and for all.
[Want more? Click below to read a longer excerpt.]


Praise for the Book
"The Elf is unputdownable (I'm going to say that's a word). There is so much I love from the story. From the unique plot to amazing characters, I was pulled from the start. It is so engaging that you won't want to stop reading it once you start. Lucian might just be my favorite character of 2016." ~ Brooke Blogs
"I cannot believe how incredible this book was to read. In complete honesty, I had semi-high expectations when going into this book. After watching that epic trailer, of course I'm going to expect it. Expectations were met, if not surpassed. From the first chapter, to the very last page, it is an adventure." ~ Haddie's Haven
"Plot wise, this was one of the most enchanting and surprising books I've read this year. The plot was unique, fast paced, engaging and utterly addicting ... truly amazing." ~ Book Lover's Life
"I don't think I've ever read anything like this book before. Max Dune has an amazing way of taking a story that we all know and twist it and turn it into something completely different. If you are looking for a good Christmas thriller that will leave your mind blown, then pick up The Elf by Max Dune and have a fun ride. I give this book 5 stars for being unique and epic." ~ Confessions of an Ex-Ballerina


Interview with the Author
Max Dune joins us to talk about his new book, The Elf. What sort of research did you do to write this book?
That was the most time-consuming part. I had to research SO much. Topics I'd never thought I'd have to learn about. About ninjas, guns, bombs, arctic wildlife, the machinery used by toy manufacturers - all sorts of random things! Thank goodness for Google and YouTube.
Any chance of a sequel?
Several, actually. I have three sequels outlined already. I want to make our team like the Suicide Squad for fairytales. Once they deal with the villain in book one, they will help other famous characters. In one sequel, for example, they will rescue Dorothy from the clutches of the Wicked Witch of the West. Flying monkeys will be the least of our heroes' worries as they travel through the land of Oz ... (evil laugh).
What started you on the path to writing for a living?
I've just always had an overactive imagination, ever since I was little. I'd spend most of my time daydreaming, but it wasn't until my mid twenties that I decided to get those stories onto the page.
How did you come up with the idea for your book?
Oh boy. I wish I had a happy story about that. Truthfully, I got the idea for this story during the most difficult year of my life. 2014. Everything that could go wrong in my life, went wrong. All at once. It was bad. I lost my faith in people. I withdrew from friends and family. I stopped writing. Totally shut down. But it was during that period these characters came to me and shared their story, pulling me out of my depression and into their wild adventures! Now, I can honestly say I'm thankful for the trial I went through. It molded me into the person (and writer) I am today.
What was your favorite part to write in The Elf?
That's a tough one. There's so many parts I loved writing and often go back to re-read. I'd probably say the epic battle at the end. All hell breaks loose then, and tons of characters bite the dust via guns, flamethrowers, bombs, katana, etc. Readers will never see Christmas or elves the same way ever again!
Who was your favorite character?
It's a tie between Lucian and his best friend, Zeb. I'd say I connected more with Lucian because I was experiencing the same emotions he was while writing this book. Also, he and I have similar personalities. But Zeb was such a riot. He infused the book with so much fun, humor and randomness. I laughed pretty hard during most of his scenes.
What do you friends and family think of The Elf?
They've been supportive from the get-go. In fact, out of all the novel ideas I pitched them, The Elf is the one that got the most enthusiasm. Their eyes would just light up. Their reaction was strong enough that I stopped working on a thriller I had at the time and focused solely on this project.
Do you have any other hobbies besides writing?
Walking, hiking, swimming, fishing. And over the past year, I've started cooking almost everything I eat. It's healthier and saves money. I've also gotten into vegetable gardening for the same reasons. Nothing beats home-grown tomatoes!
Any advice you'd give aspiring writers?
Write stories that YOU want to read. You'll have more fun that way : )
Thanks for stopping by, Max!

About the Author
Max Dune is a Southern writer who spent most his childhood watching TV, devouring comic books and weaving magical worlds in his head. In his mid-twenties, he decided to follow his true passion. He has since created a number of short stories, novels, screenplays and TV pilots.




Giveaway
Enter the blitz-wide giveaway for a chance to win a $150 Visa gift card and 15 YA paperbacks (open internationally).

Links

Fome de Livros

Posted: 17 Dec 2016 01:54 AM PST

Fome de Livros


Resenha - Lobo Por Lobo

Posted: 16 Dec 2016 01:09 PM PST

Resenha feita pela Tay!
Título: Lobo Por Lobo

Título Original: Wolf By Wolf
Série: Lobo Por Lobo
1- Lobo Por Lobo
1.5- Iron To Iron (2016 US)
2- Blood For Blood  (2016 US)
Autor: Ryan Graudin
Editora: Seguinte
Páginas: 360
Ano: 2016
Saiba mais: Skoob
Comprar: 
Amazon // Saraiva // Submarino

Quem nunca se perguntou como seria o mundo se Hitler tivesse vencido a Segunda Guerra Mundial?

Sinopse
O Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial, e a Alemanha e o Japão estão no comando. Para comemorar a Grande Vitória, todo ano eles organizam o Tour do Eixo: uma corrida de motocicletas através das antigas Europa e Ásia. O vencedor, além de fama e dinheiro, ganha um encontro com o recluso Adolf Hitler durante o Baile da Vitória. Yael é uma adolescente que fugiu de um campo de concentração, e os cinco lobos tatuados em seu braço são um lembrete das pessoas queridas que perdeu. Agora ela faz parte da resistência e tem uma missão: ganhar a corrida e matar Hitler. Mas será que Yael terá o sangue frio necessário para permanecer fiel à missão?

A Trama: Yael tem uma missão: matar Hitler no Baila da Vitória após ganhar o Tour do Eixo. Para isso, ela precisa tomar a identidade de Adele Wolfe, a vencedora do Tour do ano anterior. A trama é bem interessante e foi bem feita pela autora. As intercalações entre presente e passado também foram bem mescladas, fazendo com que fossemos conhecendo a protagonista aos poucos, empatizando com tudo pelo que passou quando era apenas uma criança e como isso a tornou mais forte e a juntou à resistência. As cenas da corrida conseguem ser bem emocionantes em alguns momentos, mas ainda faltou alguma coisa para me agradarem completamente. De qualquer forma, a trama mantém o leitor interessado até o final e com aquele gostinho do "e se..." na boca.

A ProtagonistaEu gostei bastante de Yael como protagonista, ela consegue ser decidida, focada e forte, mesmo que essas características falhem em alguns momentos e isso tenha me incomodado um pouco. Sua missão não é nada fácil, mas ela não hesita em arriscar a própria vida pela causa em que acredita, principalmente por ter passado anos de tortura servindo como cobaia para um médico louco que queria criar a solução perfeita para transformar todos em perfeitos arianos. E o efeito que esses testes teve em Yael é crucial para sua missão. 

Personagens Secundários: Luka Löwe e Felix Wolfe são personagens bem interessantes, que compartilham segredos com Adele que poderiam comprometer a missão de Yael. Descobrimos algumas coisas ao longo da trama, mas a autora conseguiu deixar um mistério pairando, fazendo com que eu fique curiosa para ler o próximo livro e descobrir mais sobre esses personagens. Sobre os outros corredores, apesar da ameaça que alguns deles impõem, não são profundamente explorados na trama. Eu queria saber mais principalmente de Ryoko, que pareceu ser bem amigável.

Capa, Diagramação e Escrita: Eu gosto bastante da capa brasileira, principalmente de como está o título. A diagramação está bem confortável para leitura e não notei nenhum erro de revisão, pelo menos nenhum que fosse terrível ao ponto de eu lembrar. A narrativa em terceira pessoa de Ryan Graudin é deliciosa. Apesar de eu ter tido um pouco de dificuldade em me conectar com a protagonista, a autora consegue passar bem seus sentimentos, suas dúvidas, etc. A atmosfera de um mundo comandado por Adolf Hitler também foi bem introduzida: o medo espalhado, as conspirações sussurradas, a vontade de vários em mudar essa situação. Já li outro livro da autora, A Cidade Murada, e a escrita em Lobo Por Lobo é tão boa quanto.

ConcluindoEu gostei bastante da trama, das questões levantadas e da adrenalina que deu o final (apesar dele não ser exatamente inesperado). Ainda faltou algo para o livro me conquistar completamente, mesmo assim fiquei curiosa para ler o próximo volume. Fica a recomendação.

Quotes:
(...) As únicas pessoas desesperadas o bastante para atuar sob a lua e as trevas pesadas eram os conspiradores da resistência, os salafrários do mercado negro e os judeus disfarçados.
Yael era as três coisas.

Ainda havia beleza no mundo. E valia a pena lutar por ela.

Classificação:

Resenha - Tintim no País dos Soviétes

Posted: 15 Dec 2016 09:00 AM PST

Resenha feita pela Lary!  
Título: As Aventuras de Tintim: Repórter do "Petit Vingtième" no País dos Sovietes
Título Original: Tintin au pays des Soviets
Livro Único.
Editora: rge
Páginas: 144
Ano: 2008
Saiba mais: Skoob
Comprar: Livraria Cultura

A Decepção é ligeira e cruel...

Sinopse: Tintim no País dos Sovietes é o primeiro álbum de história em quadrinhos da série As Aventuras de Tintim, produzida pelo belga Hergé. Originalmente lançado nas páginas de um suplemento juvenil, Le Petit Vingtième, do jornal belga Século XX. No primeiro livro, publicado entre 1929 e 1930, Tintim vai fazer uma reportagem na Rússia para o jornal Le petit vingtiéme. Vários homens da GPU tentam impedir que Tintim faça a reportagem, para ele não revelar como é a Rússia na realidade. Mas depois de muitas peripécias, Tintim consegue fazer a reportagem e regressar à Bruxelas.

A Trama: No primeiro volume desse aclamado personagem, Tintim viaja para o coração da mãe Rússia com o intuito de esclarecer e talvez desmascarar a situação real do país e sua população. Eu já tinha ouvido várias críticas relativamente negativas sobre esse primeiro volume, mas não imaginaria nem nos meus piores pesadelos que seria tão decepcionante.



O Protagonista: Tintim é outro homem nessa edição - vingativo, violento, pavio curto, irresponsável, impulsivo e muito mandão; Não é nem um pouco cativante... Apesar da história ser curta, em certo ponto já estava irritada com ele, ademais a trama completamente sem nexo e continuidade, repleta de trapalhadas ridículas e improváveis fez da leitura entediante.


Os Personagens Secundários: Praticamente nãopersonagens secundários, uma trupe de vilões persegue o protagonista, mas além de alguns bordões, não há nada que os identifique. O destaque fica para o cachorrinho Milu, que continua fofo, porém tem a personalidade relativamente excêntrica para um cachorro.

  Capa, Arte e Finalização: A capa é neutra, inclusive ela engana em relação ao traço do desenho, que é irregular e cheio de garranchos, de forma que em algumas passagens o desenho fica assimétrico, e há formulações nada anatômicas em posições de luta. O background e contexto são muito mal feitos, como rascunhos, o que deixa a finalização pobre.  


Concluindo:Eu cresci lendo e assistindo Tintim, amo muito a personagem e suas histórias, mas fiquei extremamente desapontada com o desempenho de Hérge logo no início de sua criação, destoando completamente de seus trabalhos futuros, tão bem conduzidos, desenhados e articulados. A história tem por objetivo muitas críticas inteligentes e morais que caem por terra pela maneira que foram abordadas: de forma pobre, violenta, sem nexo, preconceituosa e até preguiçosa!

Classificação:

Hypeness: Menina transgênero de 9 anos vai ilustrar primeira capa de 2017 da National Geographic

Posted: 17 Dec 2016 01:53 AM PST

Hypeness: Menina transgênero de 9 anos vai ilustrar primeira capa de 2017 da National Geographic

Link to Hypeness – Inovação e criatividade para todos.

Menina transgênero de 9 anos vai ilustrar primeira capa de 2017 da National Geographic

Posted: 17 Dec 2016 12:03 AM PST

“A melhor coisa de ser uma menina é que agora eu não preciso fingir que sou um menino“. A frase que estampa a edição especial de janeiro da revista National Geographic pode parecer estranha para quem a lê desavisadamente, mas fica bem explicada quando aliada à imagem da capa, em que a menina Avery Jackson, de […]

Este post sobre crianças e consentimento se tornou viral e precisamos discuti-lo

Posted: 16 Dec 2016 07:23 AM PST

Mandar seu filho abraçar ou beijar um amigo da família ou parente pode parecer uma coisa inocente, mas, como mostra uma controversa publicação que vem repercutindo bastante, este ato pode dar às crianças uma mensagem perigosa sobre as regras do consentimento. "Tenho 5 anos. Meu corpo é meu corpo. Não me force a beijar ou […]

Estas ações inspiradoras vão fazer você acreditar na beleza do Natal

Posted: 16 Dec 2016 05:52 AM PST

Todo ano é a mesma coisa: vem chegando o Natal e parece que o mundo inteiro se torna mais solidário, pronto para ajudar o próximo. Com isso, pipocam gestos que deixam todo mundo com os olhinhos marejados de tanta emoção e fazem a gente acreditar na beleza do Natal. Esse ano não seria diferente e […]

Testamos o FemiTaxi, o app de taxi exclusivo para mulheres, e batemos um papo incrível com a motorista

Posted: 16 Dec 2016 05:30 AM PST

Depois do vagão rosa chegou a hora de mais uma polêmica que inclui o transporte para elas. De mulher para mulher, um aplicativo (que não tem nada a ver com a loja, rs) promete oferecer corridas somente com taxistas do sexo feminino no volante. O FemiTaxi estreou este mês em São Paulo e embarcamos em […]

Aplicativo ‘aluga’ goleiros para resolver dilema das partidas amadoras de futebol

Posted: 16 Dec 2016 05:21 AM PST

O futebol é o esporte mais praticado do mundo. Sua popularidade, em parte, se resume pela facilidade com que ele pode ser praticado: basta uma bola (seja de couro, plástico, meia ou mesmo um coco ou qualquer coisa redonda) e algo que se pareça com um gol para que a partida possa começar. Entre uma […]

O incrível projeto que ajudou a revitalizar quadras de futebol nessas comunidades do RJ

Posted: 16 Dec 2016 05:13 AM PST

A Unilever possui uma iniciativa global que visa impactar positivamente metrópoles ao redor do mundo. No Brasil, o Rio de Janeiro foi a cidade escolhida para receber o projeto que, por aqui, foi intitulado Conectados pela Cidade. O foco foram as comunidades Santa Marta e Cantagalo e o principal objetivo era resgatar a conexão entre […]

Marca aposta em propaganda machista e uma usuária transformou isso em uma campanha de solidariedade

Posted: 16 Dec 2016 05:11 AM PST

O machismo nosso de cada dia aparece de maneiras que a gente nunca iria esperar. Depois que até as marcas de cervejas se deram conta de que não era preciso mostrar corpos femininos semi nus para vender, uma marca de móveis achou que essa era a melhor ideia do mundo. E o resultado foi um […]

Artista transforma betoneira em globo de pista de dança que vale a pena ser visto em ação

Posted: 16 Dec 2016 04:59 AM PST

Poucas coisas dão mais vontade e dançar do que um daqueles caminhões que preparam cimento… Pera, como assim? Acredite se quiser, mas o artista francês Benedetto Bufalino pensou que uma betoneira daria um excelente globo de luz, e decidiu tornar o pensamento realidade. Agora, qualquer local em obras pode virar uma enorme pista de dança. […]

Algumas coisas práticas que você pode fazer a respeito da catástrofe em Aleppo, na Síria

Posted: 16 Dec 2016 04:50 AM PST

A cidade de Aleppo, a segunda maior da Síria, tornou-se o principal cenário do confronto entre rebeldes e tropas do governo do ditador Bahsar al-Assad que, com o apoio russo, vem bombardeando e transformando a cidade em cenário de um dos maiores horrores recentes no mundo. Mais de 300 mil pessoas já morreram no conflito, […]

Mãe que começou a fazer chocolates para bancar presentes de natal agora fatura 1 milhão por ano

Posted: 16 Dec 2016 04:43 AM PST

Treze anos atrás, a inglesa Flo Broughton não tinha dinheiro para comprar presentes de natal. Por isso decidiu fazer em sua própria cozinha chocolates para dar de presente aos seus amigos e familiares. Os presentes fizeram sucesso, aos poucos Flo foi transformando seu hobby em negócio – e hoje ela fatura com sua marca Choc […]

Um encontro romântico com a esposa pode ter salvado a vida deste senhor de 91 anos

Posted: 16 Dec 2016 04:36 AM PST

O norte-americano Joseph Leifkin não acordou se sentindo bem às vésperas de seu aniversário. Todo suado, ele sabia que estava com problemas, e pediu que sua mulher, Marjorie, chamasse ajuda. Seu coração parou de bater por 10 minutos a caminho do hospital, mas a vontade de jantar com a esposa ajudou a trazê-lo de volta. […]

Ele fotografa gatíneos no meio de seus impressionantes vôos; não, pera

Posted: 16 Dec 2016 03:30 AM PST

Daniel Gebhart, fotógrafo de Viena, na Áustria, criou um projeto fotográfico divertidíssimo. É o Jumping Cats, que reúne um total de 12 fotografias de gatos "no ar". Nas imagens, Ume, Elli, Flitzie, Nevio e Fifty aparecem voando (ou pulando) em diversos cômodos de apartamentos retrô que compõe perfeitamente com a cena cômica e um tanto […]

Mãe escreve carta tocante para suas filhas adotivas no dia da adoção

Posted: 16 Dec 2016 03:20 AM PST

Nos Estados Unidos, existem mais de 100 mil crianças esperando para serem adotadas. E a norte-americana Jamie, mãe de dois filhos biológicos, se sentiu tocada por estes dados e, junto com seu marido, decidiu adotar mais duas filhas. Para explicar para as crianças todo este processo, eles tiveram a ideia de escrever uma carta emocionante […]

Série de fotos impressionante retrata o balé empoderando crianças numa das maiores favelas da África

Posted: 16 Dec 2016 03:05 AM PST

Contra a brutalidade da realidade, a leveza e graça do balé. Esse é o tema das fotografias tiradas pelo sueco Frederik Lerneryd na região de Kibera, em Nairóbi, no Quênia – uma das maiores e mais pobres favelas urbanas de toda África. Os bailarinos registrados não são profissionais reconhecidos ou em ascenção, mas sim jovens […]

Nenhum comentário: